13 de fev de 2010

Cresce número de reações alérgicas graves

O número de pessoas que sofrem reações alérgicas graves e até fatais cresceu bruscamente na Inglaterra a cada ano nos últimos 15 anos, revelam dados do National Health Service. A quantidade de adultos que desenvolvem alergias potencialmente fatais pela primeira vez também cresceu.

As conclusões são baseadas em análises das internações e das prescrições de adrenalina em serviços de emergência receitadas para combater o choque anafilático, a forma mais grave de reação alérgica. Só em 2008, houve um aumento de 112%.

Os gatilhos mais comuns das alergias são ovos, nozes, laticínios, peixes, frutas, vegetais e látex. Também são observadas reações graves a picadas de insetos e a remédios.

"Hoje há uma maior vigilância desse tipo de reação", diz Ana Paula Moschione, presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia -Regional São Paulo.



Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado por seu comentário.